Basquetebol

PARTILHE AS SUAS FOTOS [arquivos@portimonense.pt]

Resumo

SENIORES MASCULINOS
CAMPEÕES DISTRITAIS:
1964/1965 
I DIVISÃO NACIONAL: 7º Cl. 1964/1965

SENIORES FEMININOS
CAMPEÕES DISTRITAIS:
1975/1976 
VENCEDORAS DA TAÇA NACIONAL: 2017/2018

SUB 18 MASCULINOS
CAMPEÕES DISTRITAIS:
2009/2010 - 2011/2012 - 2012/2013 - 2013/2014
TAÇA DO ALGARVE: 2010/2011 2018/2019

SUB 19 FEMININOS
TAÇA DO ALGARVE:
2011/2012 - 2015/2016 - 2016/2017 - 2018/2019
VICECAMPEÕES DISTRITAIS: 2014/2015
TAÇA NACIONAL: 2º Cl. 2015/2016

SUB 16 MASCULINOS
VICECAMPEÕES DISTRITAIS:
2011/2012
TAÇA DO ALGARVE: 2018/2019

SUB 16 FEMININOS
CAMPEÕES DISTRITAIS:
2012/2013 - 2015/2016 - 2016/2017
VICECAMPEÕES DISTRITAIS: 2014/2015
CAMPEONATO NACIONAL: 6º Cl. 2015/2016

SUB 14 MASCULINOS
CAMPEÕES DISTRITAIS:
2011/2012 - 2012-2013
VICECAMPEÕES DISTRITAIS: 2013/2014
TAÇA DO ALGARVE: 2018/2019

SUB 14 FEMININOS
VICECAMPEÕES DISTRITAIS:
2012/2013
CAMPEÕES DISTRITAIS: 2013/2014 - 2014/2015
TAÇA DO ALGARVE: 2015/2016

SUB 12 FEMININOS
VICECAMPEÕES DISTRITAIS:
2014/2015 - 2017/2018
CAMPEÕES DISTRITAIS: 2018/2019
TAÇA DO ALGARVE: 2018/2019

SUB 12 MASCULINOS
TAÇA DO ALGARVE:
2016/2017
CAMPEÕES DISTRITAIS: 2018/2019

(*) Incompleto

 

Os primeiros registos sobre a modalidade, datam da década de 30.

Pode ver-se nesta carta do clube datada de 1936 (no lado esquerdo) que o Portimonense estava filiado na Associação de Basket-Ball do Algarve.

Supõe-se que a secção se manteve ativa nos anos 40 e 50, mas temos ainda muito pouco informação relativa a estes anos.

DÉCADA DE 60

Os anos sessenta terão sido uma época dourada da modalidade assistindo-se em Portimão a confrontos de grande qualidade e emoção com as melhores equipas do país no campeonato nacional da 1.ª e 2.ª divisão, zona sul, em seniores masculinos. 

A céu aberto e num pavimento de cimento, os jogos na condição de visitado, disputavam-se no ringue (inaugurado em 1950) do Campo do Portimonense, que se situava nas traseiras da bancada principal, encostado à parede do viveiro.

António Feu após 8 anos de basquetebol como jogador ao serviço do Sporting Clube de Portugal regressou a Portimão para ser o obreiro do grande desenvolvimento que o basquetebol no Portimonense conheceu nesse período.

No Sporting, chegou a ser capitão de equipa e ombreou com grandes nomes da modalidade na segunda metade dos anos 50, vencendo pela equipa leonina várias competições regionais e nacionais. Jogador de baixa estatura (1.72m) para a modalidade, acabou por se revelar exímio como organizador de jogo e marcador de pontos, atributos que lhe valeram inclusive várias chamadas à seleção nacional.

No regresso a casa, em 1959 a sua enorme aptidão para o desporto, a experiência adquirida e o grande gosto pela modalidade, rapidamente se tornaram pretexto para com a ajuda do professor Mário Lemos fundar uma escola de mini-basquetebol no Portimonense que chegou a movimentar cerca de 150 atletas e de onde saíram os jogadores que alinharam durante os anos seguintes no clube e na região.

Por esta altura, um grupo de aficionados pelo basquetebol com alguns antigos praticantes à mistura convenceram António Feu a formar e a treinar uma equipa de Seniores Masculinos por forma a motivar e incentivar os mais jovens a aderirem à recém criada escola de basquetebol.

Assim, em 1959/1960 a nossa equipa de seniores masculinos já entrou nos distritais, enquanto na escola não havia ainda escalões defenidos nem competição com António Feu a ensinar aos mais novos o abc do basquetebol e a preparar o grupo para a época seguinte.

Em 1960/1961 e com a chegada constante de novos jovens praticantes, o Portimonense já entrou nas competições regionais também em masculinos nos escalões de formação, com Infantis (dos 13 aos 15 anos) e Juniores (16 e 17 anos).

A femininas ou as "meninas" como António Feu carinhosamente recorda, não tinham escalões, era uma única equipa que abrangia todas as idades e terão também entrado em competição logo de seguida, talvez em 1961/1962 ou em 1962/1963.

Por esta altura, Portimonense, SC Olhanense, Gin. Olhanense, Os Olhanenses, Imortal, Bonjoanenses, Farense, e outras equipas algarvias, em cada época, disputavam um Campeonato Distrital, sendo que o Campeão do Algarve em seniores era apurado para disputar a 1.ª Divisão Nacional e o Vice Campeão, disputava a 2.ª Divisão.

 Em 1964/65, o Portimonense foi Campeão Regional do Algarve em Seniores Masculinos e jogou na Primeira Divisão Nacional defrontando Sporting, Benfica, Barreirense, Belenenses, CUF, Montijo e Sacavenense, terminando em 7º lugar na Zonal Sul.

Apesar do penultimo lugar, consta que na primeira fase do campeonato, o Portimonense bateu-se de igual para igual com os seus adversários chegando a andar nos primeiros lugares da tabela.

No decorrer da época, problemas constantes com o autocarro que estava sempre a avariar levaram a que alguns atletas se recusassem a viajar, provocando alguns afastamentos da equipa e o natural enfraquecimento competitivo.

Mais ou menos por esta altura sabe-se que as Seniores Femininas também venceram uma vez o Campeonato do Algarve indo depois a Lisboa disputar um jogo de acesso à fase final o qual perderam. 

No inicio da segunda metade da década de sessenta e após a saída de António Feu da Direção do Portimonense aconteceram alguns desentendimentos internos e o clube deixou de ter basquetebol que se transferiu na sua totalidade primeiro para a recém criada secção de basquetebol do Clube de Ténis da Praia da Rocha e pouco depois para a Casa dos Pescadores.

1965/1966 terá sido a ultima época do basquetebol no Portimonense, pois de1966/1967 existe uma foto que mostra os antigos jogadores alvinegros no Clube de Ténis da Praia da Rocha e em 1967/1968 António Feu defendeu as cores dos Olhanenses e em 1968/1969 foi Campeão do Algarve pela Casa dos Pescadores de Portimão.

 

Joaquim Figueirdo, Fernando Mendes, Pombinho, Daniel "Bolacha", Carlos Marreiros, José Manuel, Bento Rosário Luciano Cabide, Carlos Braga, António Feu, Vitor Hugo Luz, Campos, Herlander Sousa, Rogério Geraldo, José Gonçalves, José Marques, Manuel Bravo,  Vitor Lima e João Sousa, foram alguns dos atletas masculinos que gravaram o seu nome nessa página da história do nosso clube durante essa década.

RESUMO
[1959/1960] Foi criada a escola de mini-basquetebol e uma equipa de seniores masculinos começou a disputar o Campeonato do Algarve.
[1960/1961] Infantis e juvenis masculinos começam a disputar os distritais
[1961/1962] Femininos entram em competição?
[1962/1963] 
[1963/1964] Sen. Masc. disputaram a II Divisão Nacional. Infantis, Juniores e Femininas, disputaram e perderam as "meias-finais metropolitanas" nacionais.
[1964/1965] Sen. Masc. Campeões do Algarve e disputaram depois a I Divisão Nacional
[1965/1966] Ultima época do basquetebol no PSC?
[1966/1967] Já há foto dos jogadores ex-Portimonense como equipa do Clube de Ténis da Praia da Rocha.
 
 

DÉCADA DE 70

A modalidade de basquetebol ressurgiu no Portimonense em 1974 com os atletas que transitaram da Casa dos Pescadores entretanto extinta sendo também muito importante a chegada de atletas de elevado nível técnico vindos de Angola e Moçambique, onde a modalidade tinha grande implantação.

Formação,  Seniores Masculinos e Seniores Femininos começaram a tomar forma e surgiu a competição nos regionais com destaque para as senhoras que em 1975/1976: conquistam o  titulo de Campeãs do Algarve.

Os juvenis masculinos sagraram-se por duas vezes consecutivas vice-campeões regionais ambas atrás do Farense.

Mas as dificuldades eram muitas quer a nível de transporte quer de instalações para treinos e jogos, muitas vezes tínham de ceder o campo ao futebol para poupar o pelado e a relva.

Os seniores masculinos tiveram curta duração (1976/1977… ) e nas seniores femininas muitas foram recrutadas pelo Olhanense, clube pelo qual se vieram a sangrar campeãs nacionais da II Divisão na época de 1978/79 e a consequente subida ao escalão principal.

Apesar de todo este esforço, a modalidade acabou por ser extinta em finais dos anos 70. Os atletas passaram pelo Boa Esperança e pelo Esperança de Lagos até que se fixaram na recém criada ARQA (Associação Recreativa da Quinta do Amparo), que estreava um recinto novinho em folha e tinha muito melhores condições para os atletas, sendo um clube cuja modalidade principal era o basquetebol e tinha uma direção muito dedicada e empenhada. 

 

DESDE 2005/2006 ATÉ AOS DIAS DE HOJE

Pela mão de um grupo de pais de atletas do Portimonense SC, a secção foi reativada em 2005 conseguindo desde então crescer exponicialmente no numero de jogadores e escalões em todas as épocas e conquistando desde então inúmeros títulos distritais e presenças assíduas em campeonatos e taças nacionais nos vários escalões.

Desde 2008/2009 

2016/2017, após quase 40 anos, o Portimonense, voltou a ter uma equipa de Seniores Masculinos que na segunda época, em 2017/2018 ficaram a um ponto da passagem à I Divisão Nacional.

Em 2017/2018 o Portimonense tinha masculinos e femininos em todas os escalões de competição desde os minis até aos seniores, com as senioresfemininas a conseguirem esta época  (17/18) o primeiro Titulo Nacional para o PSC.

2017/2018, voltamos a ter uma equipa de Seniores Femininas que logo na primeira época conquistaram na edição inaugural da prova, a I Taça Nacional de Basquetebol para o Portimonense que terá sido o primeiro tiulo nacional para os alvinegros.

A formação do clube continua a crescer por esta altura e conta de época para época com mais atletas em cada escalão. 

Pode ler-se o seguinte sobre o Basquetebol no livro do Portimonense "1914/2003 - 89 Anos de História" de Armando Alves:

"Esse ecletismo foi particularmente evidente nas primeiras décadas de vida da colectividade, com, a curiosidade de muitos dos atletas que jogavam futebol praticarem, igualmente, outros desportos... surge um registo de 1934, aludindo a um jogo entre o Portimonense e um misto não identificado, que os alvi-negros ganharam por 14-2..."

"O basquetebol, que viria a conhecer uma fase de grande expansão nos anos 60, viveu vários ciclos no clube, um inicial na década de 30, depois na década de 40, sendo interessante tomar nota do ocorrido num jogo disputado em Albufeira. 

Estava em disputa a Taça Joaquim de Sousa e o Imortal, que comemorava o seu 25° aniversário, era o grande dominador da modalidade no Algarve, no entanto, o triunfo, algo inesperadamente, acabou por sorrir ao Portimonense, por 34-28, e os albufeirenses recusaram entregar a taça e só posteriormente remeteram um troféu para Portimão, de dimensões substancialmente inferiores às do original. Participaram nessa jornada vitoriosa os jogadores Dias, Cabrita, Ribeiro, Quinta, Cartaxo e Constante.

No principio dos anos 50 José do Carmo Ribeiro, Luiz Cabrita e Jorge Cartaxo passaram a liderar a secção mas o basquetebol só viria a alcançar grande visibilidade a partir de 1959, por iniciativa de António Feu, um grande entusiasta da modalidade, que chegou a liderar a direcção do clube.

O meritório trabalho desenvolvido teve os seus frutos com a chegada à I Divisão e diversas presentas na II Divisão, para além de um significativo número de títulos em diversos escalões, pois houve sempre uma grande preocupado com a formação.

Feu, Braga, Carlos Alberto, José Manuel, Pereira, Marreiros, Bento, Riquier, Pombinho, Sousa, Luciano, Bravo, Serrenho, Rodrigo Cabrita, Rosário, Joáo Mendes, Gonçalves, Daniel, Candeias, Bruxo e Jesuíno foram algumas das figuras nos anos 60, enquanto nos júniores davam os primeiros passos Figueiredo, Peixinho, Poucochinho, Vítor Lima, Vítor Hugo, Herlander, Anacleto e Rogério. 

O Portimonense tinha, ainda, uma equipa feminina, na qual actuavam Juvenália, Aquilina, Fátima, Marília Bravo, Augusta Bravo, María Luiza Valter, Ana Luiza Salgado, Isabel Bruxo, Dulce Salema e Cleonice Duarte.

Em 1964 o Portimonense sagrou-se campeão do Algarve de infantis, contando com o contributo de Fernando Figueiredo, Francisco dos Santos, Viegas, Francisco Severino, Alexandre Afonso, José António Raposo, António Feijão, Francisco Florencio e llídio Nunes, o que demonstra a clara aposta na formação, que se manteria por um largo período, na fase áurea do basquetebol do Portimonense.

No final dos anos 60 o Portimonense deixou de ter equipas masculinas, que se mudaram para a Casa dos Pescadores e as atenções centraram-se apenas no sector feminino, com a equipa sénior a brilhar a nivel regional, conseguindo ainda alguns resultados interessantes em provas nacionais. 

Um dos maiores éxitos remonta a Janeiro de 1976, com a conquista do título de campeãs do Algarve, tendo participado nessa conquista as atletas Luisa, Maria Celeste, Amélia, Ana Conceição, Fernanda, Mena, Gija, Maria Isabel, Guida Ligia, Suzel e Verónica, com Rodrigo Cabrita (treinador) e Ramos (adjunto) a formarem a equipa técnica."

Deixe um comentário em baixo pelo Facebook ou envie para arquivos@portimonense.pt